Quando recuperar os cilindros hidráulicos

Os cilindros hidráulicos são compostos por haste, camisa, olhais e vedações internas. Como seus componentes estão sujeitos a desgaste, precisam passar por intervenções de acordo com as horas trabalhadas pelo equipamento. Identificar essa necessidade é uma tarefa atribuída aos operadores e profissionais de manutenção, que devem ficar atentos à perda de força do equipamento ou às avarias aparentes nos componentes externos dos cilindros hidráulicos.

Nas hastes, por exemplo, a ocorrência de pequenas deformações superficiais significa a necessidade de intervenção por meio de polimento. Esse procedimento é realizado em oficinas especializadas, com o uso de uma espécie de bucha de polimento. O resultado final é semelhante ao enceramento de automóvel, tornando a superfície metálica totalmente lisa e brilhosa.

A necessidade de polimento da haste também pode ser identificada visualmente, quando ela se encontra com a aparência fosca. O brilho, nesse caso, é sinônimo de estanqueidade, já que quanto mais lisa for a superfície, menor será a aderência de partículas externas, cujo ingresso no interior do sistema poderá levar à contaminação do óleo hidráulico.

Outro tipo de recuperação nas hastes é a cromeação, que deve ser realizada antes do polimento, quando identificada a perda de espessura da haste. O cromo é aplicado para aumentar a dureza da superfície da haste e, na maioria das vezes, também para restabelecer seu diâmetro original. Esse é um procedimento que, apesar de bastante utilizado, é arriscado, pois se o cromo for realizado em medida errada, poderá desagregar partículas durante a operação, contaminando todo o sistema hidráulico e gerando grandes prejuízos ao usuário do equipamento.

Cilindros Hidráulicos

Cilindros Hidráulicos

Como funciona um cilindro hidráulico?

Conheça os tipos e como funcionam os cilindros hidráulicos que são utilizados em diversos tipos equipamentos e aplicações.

A função básica de um cilindro hidráulico é transformar força, potência ou energia hidráulica em força, potência ou energia mecânica. Com isso, já é possível imaginar a grande utilidade desse mecanismo na indústria. O cilindro hidráulico, também conhecido como motor hidráulico linear, integra diferentes equipamentos, em especial, sistemas de articulação de máquinas. Nele, fica inserido o pistão, sendo que o seu movimento é determinado conforme a entrada e saída de óleo no cilindro.

O óleo é o fluído hidráulico que é pressurizado (recebe pressão) por um conjunto bomba-motor elétrico. Em outros termos, o tubo fica fixado e a haste se desloca para fora e para dentro, conforme acionada pelo comando. O cilindro hidráulico é formado por diferentes partes, entre elas, está a haste, guia da haste, vedação da haste, êmbolo, vedação do êmbolo, anel raspador, flange dianteiro, conexão, cilindro, câmara da haste e câmara do êmbolo.

O cilindro hidráulico também é definido como um atuador mecânico utilizado para aplicar uma força através de um percurso linear. Para entender melhor, atuador mecânico é como se chama o elemento que produz movimento, atendendo a comandos de uma máquina.

Para funcionar, o cilindro hidráulico precisa da energia de um fluído hidráulico pressurizado, que é normalmente um tipo de óleo. Resumidamente, quem faz o trabalho é o cilindro e um pistão móvel conectado a uma haste. O cilindro de contenção está fechado pelos dois extremos, em um está o fundo e no outros e introduz o pistão, que tem uma perfuração por onde sai a haste. Assim, a pressão hidráulica atua no pistão para produzir o movimento linear.

 

Durante o funcionamento do cilindro hidráulico a força que ele exerce é constante do começo até o final do percurso. A velocidade depende do caudal de fluido e da superfície do êmbolo, além disso, o cilindro hidráulico pode realizar forças de tração e/ou compressão.